Friday, November 25, 2005

Momento Contigo

Bom dia, meu nome é Carol e estou viciada em novela. Mais precisamente, em Belissima.

Eu espero com impaciência a hora em que a Globo Media Center atualiza os videos da véspera. Pra assistir tu-di-nho, sem comerciais, na hora que eu quiser!

Tenho meus palpites sobre quem matou Valdete, vibro com as maldades da Bia, adoro as palhaçadas do Pascoal, de preferência de camisa aberta que sou comprometida mas não tô morta, hohohoho. E não são so as tramas principais que prendem. Alguns personagens de menos destaque (por enquanto), como a hilaria e cascavélica Mary Montilla e o seboso Narciso merecem atenção especial.

E devo ser a unica a torcer pelo Cemil, ele não tem que ficar com a chata e sem sal da Julia (a Gloria Soucoupe esta canastrona demais, mas o papel não ajuda, coitada), mas com a lindissima e maravilhosa Mônica/Camila Pitanga. No matter what he says, ela é muito, mas MUITO mais poderosa, absoluta e necessaria do que aquela cegonha da Angelina Jolie.

Mas apesar de viciada, sou lucida. Alguém por favor me diga:

- quem cortou o cabelo do Alex Borges no estilo "camponês idade média"?
- como é que a Claudia Breu consegue ser assim tão sem sal em todos os papéis que ela fez desde "Que Rei Sou Eu"?
- porque aqueles paulistanos chiam daquele jeito?
- aquela Grécia tem que ser tããão estereotipada assim?
- JAMANTA???? Fala sério! quer "ressucitar" um personagem, ok, mas esse??? não tinha pior não?
- alias, porque é que o Jamanta mora com o Pascoal?

Se tem cura, eu nem quero. Assistir novela é um barato, de preferência criticando tudo com alguém tão viperino quanto eu. Estou amando.

(vão desculpando a falta de acentos, mas o laptop aqui de casa é francês e não os aceita e não da pra usar os codigos ASCII porque laptop não tem teclado numérico. Se alguém ai conhece outro jeito que não seja copy-paste do Word, eu agradeço.)

Thursday, November 24, 2005

Bruce Banner, hold on!

Eu estou com a maior vontade de escrever um post-desabafo aqui. Envolvendo construtoras portuguesas, e a confirmação, hoje, de que eu não joguei pedra na cruz não. Joguei mesmo foi o Grand Canyon.

Mas não vou. A crente de trança que é o meu superego está esgotando suas forças para segurar a harpia high on Red Bull que é o meu id, mas já mandou avisar que daqui a pouco não se responsabiliza.

Mas tudo bem. Como diria meu sábio primo Pickle: "Podia ser pior. Podia estar chovendo."

Aliás, pensamento paralelo: como vários personagens de ficção, o Hulk pode facilmente ser reduzido à mais simplista simbologia psicanalítica. Assim como o Super-Homem é o herói fálico por excelência, voador, indestrutível e cheio dos poderes, o Hulk é o id liberado do superego, assim como o Mr. Hyde. Um concentrado de pulsões sem nenhuma censura. Eu avisei, aqueles dois anos de psicologia não caíram bem...

Tuesday, November 22, 2005

Confetes, serpentinas e línguas-de-sogra

Final de ano. O departamento da Megalítica Multinacional no qual trabalho teve um balanço positivo. Conseguimos novos clientes, os antigos estão satisfeitos, a qualidade das traduções e os prazos estão melhores, o euro caiu, a vida é bela. Por isso, merecemos um dia de Celebração.

Pra começar, não celebramos no escritório. O que pra mim é perda, já que aqui eu tenho internet banda extra larga para ler meus blogs favoritos, ou reverenciar o Mestre quando ninguém está olhando. Vai ser numa sala de conferências, em um hotel da periferia parisiense. Quem sabe não queimam um carro para me distrair do tédio alucinante de uma manhã de Powerpoint e gráficos?

Depois do almoço, patinação no gelo!! sim, meus amigos, amanhã, a essa hora, estarei caindo de bunda no chão numa pista de patinação municipal, da MINHA CIDADE, entre milhares de pirralhos, já que criança francesa não tem aula na quarta-feira. E esta que vos fala nunca patinou na vida.

Tudo bem. No começo do ano, passei um dia num castelo gelado, com os tais gráficos e apresentações Powerpoint, e depois assisti a... um número de mágica. Durante o qual o mágico apresentava a história da magia em... Powerpoint.

Na minha opinião, esse é um dos grandes problemas de multinacionais americanas na Europa. Querem aplicar o american managing way of life a europeus (e brasileira) que acham tudo isso extremamente infantil. Sabem o que eu acho que seria um grande sucesso? um vale-presente da FNAC de 50 €, e a tarde livre. Ou um campeonato de futebol de sabão!

Saturday, November 12, 2005

Desabafo

Vocês ai ja passaram por alguma situação em que os sentimentos eram tantos, mas tantos, e tão intensos que nada que vocês dissessem chegaria a dar uma idéia do que era... e que so conseguem citando Shakespeare, Rimbaud, Dumas, Baudelaire, Chateaubriand, Apollinaire ou Ronsard? or is it just me?

Thursday, November 10, 2005

Sarko, Sarko, tu me fais du mal

Depois vão me dizer que eu estou de má vontade...

Quando o ministro do Interior, dois anos depois de se declarar contrário à "double peine" (expulsão de estrangeiros condenados por algum delito), pede para que os estrangeiros que foram presos durante as agitações nos subúrbios sejam expulsos, eu já acho incoerente. Até aí, tudo bem, afinal, quem sou eu pra entender de política e de coerência?
Mas depois a figura vem declarar: "quando se tem a honra de ter um visto de estadia, não é para ser preso por violência urbana".
Bah. Pensava que a França era Liberté, Egalité, Fraternité. Que a declaração dos direitos humanos tinha nascido aqui, aquela que diz que todos os homens nascem livres e iguais. Que a lei era a mesma para todos.
Também pensava que o estrangeiro que mora numa cité esquecida pelo governo, desempregado, sem perspectivas e ainda por cima discriminado por ser árabe ou negro e "alien" tinha tanto direito quanto um francês de estar meio chateado com a situação. Mas deve ser porque eu quero puxar a brasa para a minha sardinha.
Estou meio revoltada, mas honra é o c******.
E o cara ainda tem o apoio da população francesa. Isso sim desanima.

Wednesday, November 09, 2005

Not even small favors

Fiquei sabendo aqui que a série "Les Rois Maudits", que começou antes de ontem na France 2, está disponível na Net em streaming. "Viva!!", pensei eu. Minha TV ainda está retida como refém pelo técnico que a consertou, ainda assim vou poder assistir! ... aí li o artigo inteiro.

Estão disponíveis sim, a módicos 3 euros. Para assistir, não para baixar o episódio. 3 euros para assistir um programa que passa de graça na TV, e em qualidade beeeeeeem inferior, sem contar que se o servidor cair, babaus? Aiai, alegria de pobre dura pouco...

Friday, November 04, 2005

Culinária

Saco. Estou que não agüento mais essa culinária daqui, principalmente de manhã. Todo café da manhã com clientes ou associados é cheio de croissants, pains au chocolat, brioches com passas... nada contra, mas imagine só: você acaba quase de acordar e o seu estômago tem de encarar uma guloseima composta de 60% de manteiga e 40% de farinha e açúcar, cuja preparação envolveu virar a massa 1/4 de volta no sentido horário, dobrar, estender, virar mais 1/4, dobrar, estender, e assim umas 5 vezes?? PelamordeDeus, isso não é humano! eu só conseguiria processar tanta informação no final da tarde, quando estivesse plenamente desperta. Mais ou menos o equivalente, para seu estômago, de ser acordada pelo caçula da sua tia entrando no quarto com uma ambulância de brinquedo, daquelas que piscam luzes, urram e batem nas paredes.

Eu quero tapioca, cuscuz de Milharina e farinha de milho flocada no café com leite. Muito pão de queijo de polvilho azedo. E pamonha doce com queijo de Minas.

Saco.

Tuesday, November 01, 2005

Gloom

PEDAÇO DE MIM

Oh, pedaço de mim

Oh, metade afastada de mim
Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar
Oh, pedaço de mim
Oh, metade exilada de mim
Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais
Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu
Oh, pedaço de mim
Oh, metade amputada de mim
Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi
Oh, pedaço de mim
Oh, metade adorada de mim
Lava os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus



Stormy Weather

Don’t know why there’s no sun up in the sky
Stormy weather
Since my man and I ain’t together
Keeps rainin’ all the time
Life is bare, gloom and mis’ry everywhere
Stormy weather
Just can’t get my poor self together
I’m weary all the time
So weary all the time
When he went away the blues walked in and met me
If he stays away old rockin’ chair will get me
All I do is pray the Lord above will let me walk in the sun once more
Can’t go on, ev’ry thing I had is gone
Stormy weather
Since my man and I ain’t together
Keeps rainin’ all the time