Sunday, November 26, 2006

Porto e Vila Nova de Gaia - Novembro de 2006


(clique na imagem para ampliar)
Ribeira do Porto, vista da cave Taylor's em Vila Nova de Gaia, 11 de novembro de 2006

Monday, November 20, 2006

Diga-me o que (não) comes...

Roubei da Lígia, que leu o que Jeffrey Steingarten não comeria nem por um decreto, e fez a lista dela. Eu não me considero chata para comer, mas tenho alguns nojos irredutíveis. Mas a minha lista é muito, muito parecida com a sua, Lígia! E pra completar, fiz uma lista das coisas que dão nojo em muita gente, mas que eu encaro, muitas vezes até com prazer.

Coisas que eu não como nem comeria:

- Cavalo. Aqui na França tem muitos açougues especializados em carne de cavalo, as “boucheries chevalines”. Até no supermercado tem, não adianta afirmarem que é muito saudável. Preconceito mesmo, mas não tenho coragem de comer;
- Órgãos internos de qualquer bicho (menos coração, vide segunda lista). Fígado, rins, cérebro, língua, dobradinha, sarapatel, buchada, e ainda de lambuja a “tête de veau” (cabeça de vitela). Parece que a tal cabeça é o prato preferido do presidente francês… ai, inda bem que eu não segui a carreira diplomática, acho que as relações Brasil-França seriam estremecidas se uma brasileira saísse correndo para o banheiro ao ver uma cabeça de bebê boi na mesa, com sua vinaigrette.
- Chouriço. Outra coisa que faz o maior sucesso por aqui, e que eu não consigo ver sem asco. Galinha de cabidela eu gosto, mas o tal linguição de sangue ? no way, José !
- Insetos, vermes, minhocas… só de pensar me dá engulhos. Minha mãe comia formiga frita quando era menina, e diz que é uma delícia. Tem jeito de deserdar mãe ?
- Gato e cachorro. Preconceito ? é sim e pronto. Não como.
- Yakult. Pois é, bring on the tar and feathers. E ainda por cima me recuso a ser responsável por um genocídio de lactobacilos !
- Pequi. Não adianta, nunca provei nem quero provar, apesar da pressão do lado goiano da família (do lado cearense tb, que minha mãe adora !), que não entende como alguém pode ter horror até do cheiro dessa frutinha extraterrestre.
- Jaca. Outra coisa que eu nunca provei nem quero provar, por causa do cheiro enjoado. E pela aparência gosmenta e escorregadia… outra fruta extraterrestre !

Coisas que eu como, já comi ou comeria apesar de muita gente achar nojento:

- Ostra crua. Fiz as pazes com o tal molusco, apesar de nunca comprar em casa, é caro e dá trabalho demais abrir as conchas ! e ainda por cima sou a única a gostar, já que namorido não quer nem saber daquela aquela meleca cinzenta, viva e gelatinosa.
- Foie gras. Outra coisa que não suportava mas acabei gostando… evito, porque morro de pena do sofrimento dos bichinhos… mas gosto!
- Queijos fedidos e mofados. Roquefort, bleu, brie, camembert, reblochon, comté, o munster que tem um cheiro de chulé pavoroso, a raclette fedorenta, divertida e maravilhosa… you name it, I love it.
- Cobra, jacaré, rã… répteis em geral. Cobra eu nunca comi, mas acho que não demora… minha mãe, que recém se mudou para Pequim, teve um piripaque ao ver, no super, bandejinhas de carne de cobra. Mas jacaré e rã, não morro de amores mas não desmaiei ao comer.
- Coelho. Não falei que é tudo preconceito ? Não gosto muito (acho a carne meio adocicada), mas como sem problemas.
- Escargot. Também ainda não comi, mas já vi tanto por aqui que estou ficando curiosa… além do mais, ele é servido com taaaaanta manteiga de alho que o próprio bichinho deve sumir ali no meio do colesterol.
- Coração de galinha. No Brasil não deve chocar ninguém, mas aqui é difícil de achar e quando consigo, a caixa do supermercado me pergunta se eu estou levando pra dar pro gato. Em compensação, os franceses amam moelas e fígados de ave, de preferência conservados em banha de pato. Como dizia Raul Seixas, « quando acabar, o maluco sou eu ». Humpft.

E vocês ? :-)

Thursday, November 16, 2006

Esse post vai dar otimas buscas no Google

Antes de tudo, obrigada, obrigada, obrigada pelas palavras de carinho que recebi pelo post anterior... que coisa mais linda, mais doce vocês são. Graças a vocês, ao Celinho lindo e aos meus pais, a vida fica mais facil. Respondi tudo la nos comentarios, viu?

Eu ia fazer um post de verdade sobre um final de semana prolongado e maravilhoso no Porto com o namorido, meus pais e meus futuros sogros. Mas acho que vou fazer aos poucos, comentando algumas fotos tiradas pelo meu frenético pai (ele raptou minha maquina e so devolveu quando foi embora). E foi otimo, porque eu tenho pouca paciência pra tirar fotos e ele é incansavel.

Um dos pratos tipicos do Porto é a "francesinha". Por isso, piadas sobre "comer uma francesinha", "que francesinha gostosa" foram amplamente utilizadas. Na época do Megeras, eu li que a Ticcia ja teve um encontro imediato de terceiro grau com ela. Eu acho que ela chama francesinha porque lembra, muuuuuuito de longe, um croque-monsieur... quer dizer, um croque-monsieur que ficou nervoso e virou Hulk. Ja que uma imagem vale mais do que mil palavras, eis o bicho, cortado ao meio para mostrar bem as placas teutônicas, como disse meu pai:
Então: pão, presunto, linguiça, salsicha, um BIFE, montes de queijo por cima e um molho que junta caldo de carne, cerveja, camarão e sei la o que mais. Tirem suas proprias conclusões, eu ainda não consegui, e ja encarei a dita cuja três vezes!

Tuesday, November 14, 2006

Como é que a pessoa fica quando algo em que ela acreditava derrete feito uma pedra de gelo esquecida ao sol? E a pessoa tenta pegar nas mãos para tentar reconstruir, arrumar, fazer qualquer coisa, mas quanto mais ela tenta, mais aquilo vai se esvaindo entre os dedos?
Não fica, né?

Friday, November 03, 2006

Tarte à l'oignon

Uma receita salgada e fácil, testada e aprovada, mas so pra quem gosta muito de cebola. Peguei aqui e adaptei. Espero que gostem!

Torta de cebola

1 rolo de massa folhada
10 cebolas
20 cl de creme de leite (se for aquele da latinha, sem soro)
3 ovos
3 colheres (sopa) de óleo
3 colheres (sopa) de vinagre balsâmico
1 colher (chá) de açúcar (opcional, eu adoro !)
mostarda, de preferência « à l’ancienne », aquela com os grãozinhos. Senão, serve a normal mesmo
Sal, pimenta-do-reino

Preaqueça o forno.
Chore toooodas as pitangas cortando 10 cebolas em fatias finas. Refogue tudo no óleo, com o vinagre balsâmico e o açúcar. Sal e pimenta a gosto, mexa de vez em quando até dourar. Tire do fogo, deixe esfriar um tantim.
Enquanto esfria, bata os 3 ovos com o creme de leite e um tiquim de sal/pimenta, e misture nas cebolas.Estenda a massa numa assadeira, pincele mostarda no fundo, coloque o recheio e leve ao forno quente (200 °C). Também dá pra fazer com alho-poró. Eu já refoguei uns pedacinhos de bacon e juntei no recheio, fica ótimo! Se vcs preferirem fazer a massa folhada, melhor! eu aprendi e nunca fiz de novo, sou uma preguiçosa assumida. Também da pra fazer com massa de torta salgada normal.