Monday, December 31, 2007

Bananê !

Nunca me importei muito com festa de ano-novo. Sou meio bicho-do-mato, nunca fui muito de buatchy (do Papel Pobre, R.I.P.), festa do tipo gente bonita, clima de paquera, e nunca pulei ondinhas porque nunca havia ondinhas por perto. Quando muito, os amigos mais próximos e a família num jantar mais legalzinho, abrimos o champanhe à meia-noite, um brinde e pronto.

De qualquer forma, não vai ter festança inclusive porque amado marido vai trabalhar até as 23 horas, e aí haja pique né ? Mas mesmo assim, mudei de idéia e resolvi fazer alguma coisa diferente, mesmo que seja só um pouquinho.

2007 foi doce e amargo. Doce, porque me casei com o melhor homem, o melhor marido, que me faz feliz todos os dias, todas as horas. Porque conseguimos nosso apê tão facilmente, nessa cidade em que moradia é uma selva, principalmente para um casal de estrangeiros. Porque temos emprego e podemos pagar nossas contas sem susto. Porque fui à China pela primeira vez na minha vida. Porque estamos com saúde.

Amargo, porque uma grande amiga perdeu sua bebezinha linda, minha afilhada. Depois, uma pessoa maravilhosa que eu nunca vi ao vivo mas que eu aprendi a amar perdeu seu amor, e meu Deus, como doem em mim essas dores… A sensação de injustiça, de impotência diante de dores tão grandes e, claro, de medo, me fizeram pensar muito. Clichê, sim, mas às vezes esquecemos de valorizar certas coisas, e o dia-a-dia toma conta da gente tão depressa !

Então desejo muito amor, paz, serenidade, força e coragem a todos. E que venha 2008 !

Sunday, November 25, 2007

Quando amado marido e eu assistimos Duas Malas (copyright by Fal) e aparece a noiva de Malvadão, (também by Fal, of course)



Só lembramos do sensacional Willy Waller:

Tuesday, November 13, 2007

Desabafo

Putamerda, viu? Quando é que vai ter um curso de trainamento para clientes? Para clientes imbecis que não querem se responsabilizar pelas próprias cagadas, e que tentam te pressionar para que VOCÊ assuma a culpa do atraso que ELES causaram? Para clientes cretinos que não entendem que NÃO dá para traduzir um manual de 500 páginas em 2 semanas, ou então o manual vira uma colcha de retalhos ilegível? E que não adianta fazer chantagem, não existe ainda o Super Traduzedoreitor Tabajara, que traduz 10 000 palavras da melhor qualidade por dia? E de graça, de preferência.
Vou te contar, viu? tem dias que dá vontade de soltar um TA GUEULE!!! em negrito, arial 24 num e-mail safado desses, e juro que já cheguei perto, tive que levantar e dar uma volta para me acalmar.

Monday, November 12, 2007

Um príncipe saudita comprou um Airbus A380 para servir de jatinho (inho, ahahahahahaha) privado. E não é o primeiro, esse senhor, cujo nome esqueci, já tem DOIS aviões de linha transformados em jato privado. E dá-lhe cama king size com cobertor de visom, banheiro completo com chuveiro e vista para o céu, aeromoças lindas e loiras, bares, e QUARTOS, gente, QUARTOS num avião. Segundo o jornal, o homem também é dono do hotel George V e da Disneyland Paris.
Fico imaginando se o tal príncipe pode dar uma louca e fechar o parque para brincar sozinho com a tchurma dele... o que eu faria com certeza.
Ai ai, deixa eu voltar para a louça da pia e deixar de bobagem... que eu não consigo fechar nem o carrossel da pracinha aqui do bairro, o que tem uma placa gigante escrita "Mickey MOUSSE" (tenho que tirar uma foto disso).

Sunday, November 11, 2007

Carol coloca o bagel no forno para descongelar, e vai para a frente da televisão assistir Le Coeur des Hommes. Esquece da vida e, em pânico, percebe que já passaram 30 minutos, e que a embalagem mandava deixar 5 minutos no forno. Morta de fome e de preguiça, e prostituída da existência porque o supramencionado bagel é única coisa que não requer preparação complexa que sobrevive na geladeira, Carol corre para evitar o incêndio, e percebe que ela não esqueceu somente o bagel no forno: esqueceu de ligar o forno. Tá lá o fiodamãe congeladinho ainda, não sei se fico feliz por ainda ter o que comer, ou mais p da vida ainda pela dupla distração.

Não fiz absolutamente NADA de produtivo hoje. Marido trabalhando no final de semana é uó.

Aliás, em vez de fazer algo produtivo ontem, como perdi a hora do cabeleireiro e não aguentava mais, olhei umas três ou quatro paginas na Internet e cortei meu próprio cabelo. Crianças, não façam isso em casa. Mas até que ficou bom!

E me digam uma coisa, quem toma pastis no outono, à noite, longe da praia? Haja vontade de fazer de conta qe o verão não acabou, e que estamos todos num bistrot em Saint-Paul de Vence, numa bela noite de julho, uma partida de pétanque rolando.

Tuesday, October 30, 2007

Nutty !

Eu não como amendoim. Quer dizer, não é que eu deteste, mas basta eu comer uma paçoquinha para ficar empolada... De vez em quando não aguento e como uma canjica, mas normalmente fujo do amendoim como o diabo foge da cruz. Em compensação, adoooooooro todos os outros frutos secos: nozes, avelãs, castanhas do Pará, pecan, macadamia, pistaches, avelãs e principalmente, ai ai ai, a castanha de caju. O problema sendo que essas delícias são caras e calóricas... se bem que são saudáveis, consumidas com moderação.
Anfã. Minha ex-roommate natureba tinha uns potinhos na geladeira, que ela deixou quando foi embora. "Purê de amêndoas" e "purê de avelãs"? Hmmmm, sei não. Essas embalagens orgânicas não são muito atraentes, estamos tão acostumados com embalagens multicoloridas e design... Como estavam ali e eu não ia deixar estragar aquilo, resolvi experimentar.

Gente, que coisa mais deliciosa! Gostei tanto que, encorajada por amado marido, passei no supermercado bio e comprei um pote de "purê de castanha de caju"... Agora sério, a embalagem não é deprimente?
A consistência de cada uma dessas "manteigas" (porque na verdade é parecido com manteiga de amendoim, mas não leva óleo, nem açúcar, nem sal) é diferente: a de avelãs é é uma pasta escura e granulosa, com um sabor acentuado e um travinho amargo; a de amêndoas é bem clarinha, suave e molinha, é a mais neutra... Mas acho que isso é porque é manteiga de amêndoas não tostadas. A de castanha de caju é mais firme e lisa, mais densa... e é uma delícia, quase doce. Disparada a minha preferida.

O que fazer com elas? o pessoal vegan usa para fazer leite vegetal, diluindo um pouco da manteiga em água. Eu não sou vegan, e ainda estou descobrindo... sei que dá para usar em várias receitas, substituindo a manteiga de amendoim, mas ainda não experimentei. O que eu já fiz:

- Nut-tella: metade manteiga de amêndoas, metade manteiga de avelãs, açúcar ou adoçante a gosto. Depois de misturar tudo muito bem, passo no pão torrado e mando ver. Marido também adorou. Da próxima vez vou colocar chocolate em pó.
- Manteiga de castanha de caju no pão. That one speaks for itself...
- temperei um filé de peixe, com limão, sal, pimenta do reino e cebolinha. Deixei marinar e depois cozinhei no vapor, dentro da papillote (embrulhado em papel manteiga ou papel aluminio) com um pouco de cenoura ralada e cogumelos, e passei a manteiga de caju por cima.
-Fiz uma farofinha com farinha de rosca, manteiga de caju e sal e coloquei por cima de um filé de peixe (pode ser frango também) que fiz ao forno.
- fiz a mesma farofinha, so que com açúcar em vez de sal, e marido e eu comemos de colher.
- uma colher (sopa) de manteiga de avelã no bolo de chocolate dá um sabor maravilhoso.


Bem, a uilização principal é mesmo para passar no pão... em tempos de luta contra o colesterol, foram descobertas muito bem-vindas! E se quiserem experimentar e não acharem pronta, da pra fazer... basta colocar os frutos secos que escolher (sem sal, tostadas ou não) no copo de um liquidificador ou de um processador, bater durante 30 segundos, desligar para juntar os pedaços que grudarem no copo, e começar de novo, 30 segundos de cada vez, até dar consistência. Estou doida para ver se da certo com pistache!

Wednesday, October 24, 2007

Meme

Vi na Zel, e como estou sem assunto, veio a calhar:

1ª) pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);
2ª) abra-o na página 161;
3ª) procurar a 5ª frase completa;
4ª) postar essa frase em seu blog;
5ª) não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
6ª) repassar para outros 5 blogs.

"Un jeune homme, qui avait déjà écrit hier à mademoiselle Hélène, un instant avant votre arrivée, s'est présenté, ce matin, au pavillon; je l'ai voulu éconduire; mais mademoiselle m'a ordonné si péremptoirement d'obéir et de me retirer, que, dans ce regard enflammé, dans ce geste de reine, j'ai reconnu, n'en déplaise à Votre Altesse Royale, le sang qui commande".

Alexandre Dumas, La fille du Régent, éditions Alteredit

Eitcha, que a frase era comprida! Bom, eu considerei que uma frase começa com uma maiúscula, e termina com um ponto.

Também não vou recomendar para ninguém não, quem quiser, faça, e depois me conte! :-D

Tuesday, October 16, 2007

Curso de Arte na História - não perca!

Eu sei que isso aqui não é vitrine que preste, mas quero divulgar. Dessa vez eu já escrevi para tia Sil, não vou perder!! E divulgo porque nossa, eu já estou impaciente para que comece logo. Só espero que a minha ídala demore para descobrir o quanto eu sou tapada...
Enfim, sem mais delongas, eis o anúncio da maravilhosa e amada Fal:

Abertas as inscrições do felomenal curso de Arte na História. O curso é totalmente virtual. But... se houver quem se interesse, faremos reuniões mensais só pra fofocar aqui em São Paulo. Não, não precisamos estar todos conectados ao mesmo tempo para mandar e receber aulas. É legal e bacana, é a quinta vez que eu dou esse curso na rede, sempre dá certo (né, ex-alunos??). As aulas, modestamente o caralho, são muitíssimo bem escritas e eu pego na sua mão pra te explicar as cousas. Além disso, vai ter atividades paralelas, discussões paralelas, esse vai ser de arrebentar.
Peça informações aqui:
artenahistoria@gmail.com
E divulgue no seu blog, se vc achar que deve. Convide seus alunos, seus amigos, seus correligionários. :o))))


ARTE NA HISTÓRIA

Aula I
Arte. Que é isso?
Algumas teorias sobre o surgimento da arte.
Pedra lascada, pedra polida.
A vida como nós a conhecemos: as primeiras civilizações
No princípio era o verbo
Dos tijolos sumerianos aos jardins suspensos da Babilônia, passando pelos gatinhos do Egito.
Os números da Maloca
Tantos povos, tantas histórias: persas, minóicos, micênicos, hititas, lídios, medos, dóricos fenícios, cartaginenses e, ufa, hebreus

Aula II
Se oriente rapaz I: China e Índia
As crianças da Grécia
Os geniais etruscos
Roma e a não-arte

Aula III
Balaio de gatos: bárbaros germânicos, arte românica, gótica e a Idade Média
Construindo catedrais com a Ana Paula
Se oriente rapaz II: Japão

Aula IV
Humanismo
Grandes navegações: o mundo diminui
A terra é mui graciosa, tão fértil eu nunca vi
Apertem os cintos, o Papa sumiu

Aula V
O barroco francês, Rembrandt, Bach e outras coisas do século XVII que fazem meu coração sorrir
Bebendo café com o Mauro

Aula VI
Carneirinho, carneirão: o Arcadismo
Born in the USA
Eu sou Napoleão Bonaparte
Linha de montagem

Aula VII
Vizinhos Reais
Noutras palavras, sou muito Romântico
Romantismo Português, ó pá!
Eu te amo, porra! - Romantismo no Brasil
Evolução: 'Sua mãe pode até descender dos macacos, mas a minha não'

Aula VIII
A vida como ela é: O Realismo
A Natureza é tão natural
Simbolismo Lerê Lerê
República ou morte
Impressionante
Freud, explica!!

Aula IX
Século novo, vida nova
Espartilhos e grandes bigodes: a Primeira Guerra Mundial
Futurismo, cubismo, dadaismo: é ismo que não acaba mais
Modernismo: Brasil e Portugal
Derretendo relógios
Fazendo moda, fazendo arte
Nós cantamos na chuva
A Segunda Grande Guerra
Baby boom
O anjo pornográfico

Aula X
Flower Power, o passaporte pra revolução
As veias abertas da América Latina
Coca-cola é isso aí: a publicidade e o divino, e as malas da Carla San
Moda, cinema, literatura, poesia, arquitetura, teatro, pintura, escultura, publicidade, rádio: stress puro ou seu dinheiro de volta.
O Havaí seja aqui : internet, a nova arte e o diário coletivo
De volta à pintura de paredes: os novos urbanos

Wednesday, October 03, 2007

Rugbygirl

O rugby é um esporte MUITO popular na França. Não chega a ser tão popular quanto o futebol, mas assim como a Formula 1 no Brasil, ou até mais. A Copa do Mundo de Rugby esta acontecendo agora, e é na França. Uma bola de rugby imensa foi pendurada na torre Eiffel para prestigiar o evento, não se fala em outra coisa na TV e todo mundo da seu palpite, inclusive apresentadores de sisudos programas políticos, patricinhas decotadas e senhoras na fila da padaria.
Eu não entendo quase nada de rugby, mas estou gostando cada vez mais. Não só do esporte em si, que tem muito mais a ver com estratégia do que parece, mas dos ideais de companheirismo, fair play e pura diversão que ele ainda transmite. Talvez por que não role (ainda) tanta grana e tanto marketing no rugby, ou por algum motivo que desconheço... não suporto mais futebol e quando torço pelo Brasil, é sem convicção por aquela seleção que não quer nada com jogo. Mas admito: sou um pouquinho torcedora do XV de France, até sem entender quando eles marcam pontos.
Sabado eles enfrentam a Nova Zelândia, considerada favorita. Os All Blacks, além de serem a melhor equipe e de terem os melhores uniformes, têm o haka, uma dança ritual maori, que executam antes de cada jogo. Cá entre nós, basta olhar um pouquim para o capitão dos All Blacks para entender: um esporte que tem um atleta desses não pode ser mau! :-)


Thursday, September 27, 2007

Indigènes

Eu ainda não vi o filme, mas vi o trailer agora e já chorei.
E é bom lembrar que os veteranos originários das então colônias francesas, que lutaram ao lado (às vezes até à frente) das tropas francesas que colonizavam seus países, enfrentaram as mesmas bombas e balas alemãs que os franceses, e só foram receber a mesma aposentadoria em 2006, mais de 50 anos depois da guerra. E isso porque a conscientização provocada pelo filme deu uma sacudida no governo, para acabar com essa injusiça.




Aliás, no país da liberdade, da igualdade e da fraternidade, nem sempre é fácil ser estrangeiro. O advogado Maître Eolas, em seu excelente blog, mostra o inferno das leis da imigração francesa para quem não tem o dinheiro/profissão/cor para entrar na França pela porta da frente.

Friday, September 21, 2007

Analogias

Eu estava observando o presidente daqui (não tem como escapar, o cara está em todos os canais, tem aquela velha opinião formada sobre tudo) e fiquei pensando: o jeitão dele me lembra o presidente aquelle, sabem? O cooper matinal na frente dos repórteres, os ternos Prradá, a espousa pheena e elegante cheia de modelitos Prradá também, e principalmente a empáfia. Não estou dizendo que os dois têm o mesmo comportamento político, inclusive porque é cedo demais para julgar e que eu não tenho (teoricamente) nada com isso. But still...

Friday, September 14, 2007

Meia calabresa, meia portuguesa para mim

Ontem vi uma reportagem sobre a pizza. Fiquei sabendo que cada francês consome em média 10 kg de pizza por ano, o dobro dos italianos, o que não me surpreende já que nunca vi tanta pizzaria quanto na França, nem em Roma. Em compensação, no Brasil o consumo aumentou muito essa semana, já que o Sr. Renan Calheiros foi absolvido. (Fonte: Terra Notícias)

Gente, que piada. Quer dizer, piada não, porque não tem nem graça.

Friday, September 07, 2007

Bão, amanhã cedo, se Deus e a Hertz quiserem, partirei, com maridón, tia e prima (do maridón, que as minhas são umas frouxas que nunca que vão aparecer por aqui) para um mini-final de semana de Vallée de la Loire. Claro que dois dias nunca que vão dar pra ver tudo, mas na segunda-feira estou de castigo. Claro que só vou ficar 100% feliz quando tiver com carro e GPS na mão, porque minha natureza é desconfiar de preço baixo de locadora de automóvel, aliás de qualquer preço baixo. Mas ô beleza sair daqui, nem que seja um pouquinho... principalmente se for para ver isso:



E isso:

E nem vou falar dos saumur-champigny, bourgueils e chinons porque eu não gosto de álcool, mas ai zizuis, até fiquei com vontade.



Wednesday, September 05, 2007

Post felino

Biscotte com seu inimigo íntimo, Sam, que veio passar as férias da dona dele aqui em casa, preparados para dar o bote em um pobre mosquito. O Sam ganhou.

Momento de paz e tranquilidade.
Aliás, a nossa gatinha (a fofa cinza e branca) não tem ainda um nome muito fixo... Experimentamos vários, mas nenhum colou... o que usamos mais é Biscotte, que era o nome dela quando a adotamos. O que vocês acham ? Sugestões ?

Wednesday, August 29, 2007

Não sabia, até agora não sei o que dizer... Meu coração esta apertado demais. Meu amor, meu carinho, meus pensamentos estão com você, Fal.

Wednesday, August 08, 2007

Quiche de abobrinha e tomate

Para variar, mais uma receita... Queria postar várias, e acabo enrolando. Gosto muito de pratos saudáveis e econômicos, já que adoro cozinhar e tudo aqui é caro! Já fiz essa torta várias vezes, e adorei! muito boa para quem não gosta de comer legumes, e para quem gosta também! Não tem foto porque a que fiz ontem já acabou.

Ingredientes :
- 1 rolo/pacote de massa folhada pronta
- 4 abobrinhas grandes ou 6 pequenas
- 4 tomates grandes ou 5 pequenos
- 1 cebola pequena (opcional)
- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
- 100 g de queijo emmental ralado
- 1 colher de sopa bem cheia de tapenade (pasta de azeitona) ou pesto alla genovese
- 2 ou 3 colheres de sopa de farinha de rosca (pão ralado)
- 200 ml de creme de leite (pode ser light)
- 3 ovos
- orégano, sal, pimenta-do-reino
- manteiga para untar

Corto os tomates ao meio, espremo para tirar todas as sementes e a água. Pico em pedaços, e espremo mais. Coloco numa peneira, polvilho com bastante sal, mexo e deixo escorrendo, mexendo de vez em quando para tirar o máximo de água. Vale espremer mais, para ir mais depressa.

Depois, corto a cebola em fatias beeem fininhas, e as abobrinhas em rodelas não muito finas (mais ou menos ½ cm). Aí eu acendo o forno para ir aquecendo, a 180 graus.

Esquento o azeite em uma panela, e quando estiver quente refogo a cebola. Quando ficar transparente, junto as abobrinhas e tempero com sal e orégano, daí refogo tudo uns 10 minutos no fogo médio, mexendo de vez em quando. Quando a abobrinha estiver cozida mas ainda crocante, tiro do fogo e escorro toda a aguinha que fica no fundo da panela, se tiver sobrado, e uso para fazer sopa. Dou uma espremidinha também, com a colher, para ter certeza. Deixo esfriar um pouquinho enquanto faço o resto.

Bato numa tigela o creme de leite, os 3 ovos, sal, pimenta e orégano.
Unto uma forma redonda (eu uso uma de 28 cm de diâmetro), e estenda a massa folhada. Pincelo o fundo com a pasta de azeitonas ou o pesto. E aí é só montar a torta : uma camada de abobrinhas, uma camada de tomate, metade da farinha de rosca e metade do queijo ralado. Repito as camadas, daí é só despejar a misturinha de creme de leite por cima de tudo, e levar ao forno por 40 minutos. E bom deixar esfriar um pouco antes de servir. Uma delícia !

Tuesday, July 03, 2007

Muuuuu !

Estava eu fazendo o jantar, maridón fuçando no computador (mas ele lava TODA a louça depois, viu, pessoas feministas ?), quando ouço um discurso emocionadíssimo e de sotaque inconfundível.

Nas primeiras estrofes daquela ode à cara de pau, em que o homem dizia que nunca tinha matado uma mosca, que era um cristão exemplar e temente a Deus, que dava leite às criancinhas, pão a quem tem fome, que voava pelos céus de BSBópolis com sua bela capa vermelha para levar, graças a seus superpoderes, amparo a todos os pobrezinhos… viro para maridón ; « gente, esse cara fala igualzinho ao Ror*z ! » e ele : « Pois é ele mesmo ».

E continuei ouvindo aquele mico fenomenal, com um pouco de vergonha alheia mas chorando de rir na panela do feijão. Já que estão mais uma vez tentando fazer o eleitor brasileiro de palhaço, melhor ir rindo, né mermo ?

Tá certo, eu não moro mais em Brasília há mais de 8 anos, mas não deixo de gostar de lá. Que o Gioacchino se esgueira como enguia entre acusações de corrupção, desde que Brasília é Brasília, todo mundo sabe. Mas putz, o discurso foi dose pra leão. Aquilo foi… sei lá. Surreal. Ou real demais...

Mas gente, vamos combinar que a honorável corporação bovina anda com a barra sujíssima ! Tudo é culpa do boi, ê boi malvado !

Tuesday, June 12, 2007

(Cidade) Proibida pra mim, no way

Gente, seguinte: eu estou na China com maridón, suportando um calor de 30 graus em Pequim, que deve ser uma das cidades mais poluídas do planeta. Ate ai tudo bem, principalmente para maridón que eh de Sao Paulo e nao estranha essas coisas. So que eu acho que a Internet daqui nao curte muito o Blogger, dai nao consigo postar direito. E desculpem a falta de acentos, ainda estou brigando com o teclado.
Maridón acaba de me dizer que viu na TV (como ele foi entender mandarim, ele nao disse) que a neblina horrorosa que pairou a tarde toda sobre a cidade foi de um predio que implodiram. Voce passa na frente do predio na segunda, ele ta la inteirinho. No dia seguinte ta vazio, e na quarta ja implodiram a bagaceira toda.
E tem muita, MUITA gente aonde quer que voce va. Mas assim, MUITA. Formigueiro total.

Eu bem que tentei colocar uma foto nesse post, mas num deu certo. Depois eu invento um Flickr pq essa net lerda ta me dando nos nelvos... Assim que ela deixar, eu volto que eu fico com saudades!

Enquanto isso, 再见 (Zàijiàn, ou tchau! nossa, to imposivel)


Tuesday, May 15, 2007

Casamento

Vi na Mani, que tem, como sempre, coisas lindas lá no cantinho dela, e como eu não presto e não sei escrever, roubei para dar de presente (atrasado!) para maridón. Love you, hon. Sempre e para sempre.

Casamento
Adélia Prado


Há mulheres que dizem:
Meu marido, se quiser pescar, pesque,
mas que limpe os peixes.
Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,
ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.
É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha,
de vez em quando os cotovelos se esbarram,
ele fala coisas como "este foi difícil"
"prateou no ar dando rabanadas"
e faz o gesto com a mão.
O silêncio de quando nos vimos a primeira vez
atravessa a cozinha como um rio profundo.
Por fim, os peixes na travessa,
vamos dormir.
Coisas prateadas espocam:
somos noivo e noiva.

Wednesday, May 02, 2007

Cat in da house

Mais de 2 meses que o povo daqui não me tira do tronco. Daqui a pouco eu chamo alguém
dos direitos humanos, porque cruiscredo, a coisa tá horrorível. Quanto mais serviço a gente tem, mais arranjam mais serviço, de preferência daquele que não tem nada a ver com o que está escrito no seu contrato. Anfã...

A família cresceu. Chegou nossa fiotinha piluda, que adotamos de uma associação ótima, eu recomeindo. Os gatinhos que eles salvam da rua não ficam presos em gaiolas, mas na casa de pessoas queridas que cuidam deles até a adoção. A gatinha (ainda não conseguimos escolher um nome, aceitamos sugestões) passa bem, é muito muito muito carinhosa e adora conversar, até sozinha. Além de comer como se fossem abolir a
Purinha Uán amanhã, ela acha que é cachorro, rosna na porta quando o vizinho passa, segue a gente pela casa toda, e me obrigou a dar uma de McGyver : às 2 da manhã, tive que inventar um dispositivo anti-arranhões na porta do quarto com pouquíssimo material. Além disso, ela ainda está aprendendo que, se o bumbum dela estiver para fora da caixinha de areia quando ela for ao banheiro, não vai adiantar muito… Resignados, os pais festejam quando é gol, e já colocaram jornalzinho na entrada da caixinha, para as eventuais bolas na trave. Se alguém tiver sugestões para isso também, serão mais do que bem-vindas.

Wednesday, March 21, 2007

My Visual DNA



Eu acho que os resultados dependem muito do momento em que você responde às perguntas... mas sei lá, até tem bastante a ver! Mas não acho que o fato de adorar beber água me torna natureba, já que sou uma pré-viciada em Coca Zero.
E não gosto de cigarro, mas cada qual com seu cada qual, né mesmo?
Que mais... não sou muito fã da Gioconda, mas sei lá, ela está no Louvre, e eu adoro o Louvre, então... além do mais não tinha nenhum quadrinho impressionista para escolher!
E vocês?

Friday, February 23, 2007

I am nerdier than 11% of all people. Are you nerdier? Click here to find out!
Mas ser nerd MESMO é ter ficado decepcionada por não ser nerd...

Tuesday, January 02, 2007

Bananê!

Antes de qualquer coisa: FELIZ ANO NOVO! que 2007 traga saúde novas alegrias, pessoas legais, amores, dinheiro no bolso que ninguém é de ferro, notícias boas...
Queria agradecer muita coisa e muita gente que 2006 trouxe pra dentro da minha vida, mas como tô sem tempo até de respirar direito, depois faço isso com calma. Meanwhile...